Entendendo a diferença entre ficção e fantasia

by CJ McDaniel // março 20 // 0 Comments

Há uma tênue linha de diferenciação entre uma obra fictícia e uma fantasia que poderia ser prosa, brincadeira ou poesia. No entanto, tanto ficção quanto fantasia são gêneros de literatura, mas a fantasia é um subgênero da ficção.

Ao longo dos anos, ambos ganharam um bom reconhecimento em nossa sociedade e lista de leitura devido ao avanço dos autores pós-medievais que escreveram: Sangue e Fogo por George Martin, O Senhor dos Anéis, e livros relacionados por J. R. R. Tolkien…

Continue lendo para saber mais sobre a diferença entre ficção e fantasia.

Ficção

A ficção é falsa e só acontece na mente do escritor. Seus personagens, dicção e ritmo não estão diretamente relacionados. Pode ser referido como o ato de fazer ou criar histórias. Tais histórias podem estar relacionadas à ciência, como a ficção científica , que tenta explicar ocorrências científicas e termos da perspectiva do escritor.

Portanto, é justo dizer que a ficção não tem história ou ligação direta com ninguém e está aberta a interpretações diversas.

Fantasia

É uma ficção altamente modificada que provém da alta criatividade e é geralmente quase impossível.

Ele tenta explicar as coisas misteriosas, que podem ser mágicas ou sobrenaturais.

A fantasia leva você a outro mundo de impossibilidades e eventos irreais. Você pode ver em alguns filmes da Disney, como A Bela e a Fera, Cinderela e Branca de Neve.

Um exemplo de livro de fantasia é Alice no País das Maravilhas, o que nos abre para um mundo de fadas.

Principais diferenças entre ficção e fantasia

Há diferenças distintas entre ficção e fantasia, que incluem;

Possível Vs. Impossível:

A ficção explora o que é possível, mas não é verdade, enquanto a fantasia explora o que é impossível.

Mesmo que não sejam verdadeiras, as peças fictícias são muito relacionáveis conosco por causa de seu enredo, dicção e cenário.

Os temas, eventos ou temas com os quais as obras fictícias lidam não são exatamente verdadeiros. Embora, eles tenham uma maneira de ser relacionáveis ao nosso mundo, tentar abordar questões sociais ou crises (passado ou presente), e até mesmo prever o futuro.

Embora a fantasia use termos irreais e temas como criaturas falantes, dragões, fadas, mesmo que essas noções criativas nunca possam existir fisicamente, elas estão muito presentes em nossa imaginação.

Obediência à lei da natureza:

Onde a ficção se restringe às leis universais, a fantasia não.

Histórias ou eventos fictícios tendem a obedecer ou praticar um nível de leis universais (por exemplo, a lei da gravidade ou da física), especialmente a ficção científica. Não há apoio racional ou evidência concreta por trás da fantasia. Todos os eventos notáveis e inspiradores podem ser explicados com uma palavra, “magia”, sem qualquer princípio fundamental para apoiar ou apoiar sua ocorrência no mundo da fantasia.

O elemento sobrenatural ou extraordinário:

A fantasia está cheia de eventos extraordinários ou atividades que emocionam o leitor, enquanto a ficção pode não necessariamente introduzir qualquer:

Histórias de fantasia podem introduzir um personagem invisível ou sobrenatural que serve como protagonista e personagem central. A maioria dos trabalhos de atrito pode passar sua mensagem ou trabalha com personagens e personalidades relacionáveis na sociedade.

Propriedades realistas:

Narrativas ficcionais podem ser fixas firmemente na realidade, enquanto a fantasia é imaginação total (pura):

A estrutura da trama da ficção pode ser uma sociedade ou ambiente bem conhecido em nosso mundo, mas você pode criar histórias e eventos para passar uma mensagem através de gerações. Um exemplo é uma história de como uma tartaruga quebrou as costas.

Gênero Vs. Subgênero:

Ficção é um gênero de literatura, e fantasia é um gênero de ficção. Se a fantasia é um gênero de ficção, torna-se então um subgênero e não um gênero primário da literatura. A literatura tem gêneros fictícios e não ficcionais. Você pode categorizar ambos como os mesmos no sentido amplo, mas não ao fazer uma análise aprofundada.

Qual é o mais velho? (Ficção ou Fantasia)

A ficção pode ser datada desde os primeiros escritos ou os dias da civilização no Egito, onde os homens aprendem a ler e escrever. Havia histórias sobre histórias documentadas e passadas para gerações para educá-las e informá-las de seu passado. Mas continha muitos enfeites e mitos, o que resultou em ficção (falsa).

Embora a fantasia seja antiga no mundo da literatura, há argumentos de que as origens da fantasia remontam aos tempos mitológicos. A Odisseia de Homero e O Rei do Rio Dourado (1841), de John Ruskin, é debatidamente a primeira obra de fantasia de todos os tempos.

Para livros sobre fantasia, há agora uma distinção entre a velha e a fantasia moderna.

Semelhanças entre ficção e fantasia

Ambas são ideologias especulativas.

O conceito de imaginação e criatividade tem um papel significativo na ficção e na fantasia. Significa que tanto a ficção quanto a fantasia estão estabelecidas na questão “E se…?”

Exemplos:

E se a viagem no tempo for possível? – PERDIDO

E se os Dragões existirem? – BLOOD & FIRE (Jogo do)

E se você pudesse controlar o ambiente com uma mera onda de sua mão? – MERLIN

Tema central semelhante ou conflitos

A maioria dos temas ou conflitos na ficção e na fantasia são individuais (protagonistas) contra a sociedade ou o meio ambiente (antagonistas). O ambiente pode não ser necessariamente objetos inanimados, mas os indivíduos residem nele. Então, temos individual versus individual, eu, crenças, ideologias.

Racionalidade (aplicabilidade do tema à vida real)

Só porque ambos têm conteúdo imaginativo ou conceito estrutural não o torna irracional ao nosso mundo, também não torna as lições e atividades inaplicáveis aos seres humanos. Eles ainda enriquecem os leitores e amantes com conhecimento. Alguns exemplos são o tema do amor e do sacrifício, o tema da moralidade, o tema do bem e do mal, etc.

O que mais há para saber sobre fantasia?

Às vezes, o mundo real fica um pouco demais, e procuramos uma fuga dele.

Algumas pessoas que têm desafios em suas vidas muitas vezes se apegam a fantasias para escapar de sua dura realidade, mesmo que seja por um tempo. Ele nos leva a um lugar onde há um final feliz para todos os desafios ou talvez um ser intrigante que nunca imaginamos.

Fantasia como uma doce impossibilidade

A fantasia vem com algum elemento de glamour e charme. Às vezes, é quase inacreditável e absurdo. Depende em grande parte de histórias impossíveis ou incríveis.

Contos dessa natureza não seriam atraentes para as pessoas mais velhas. Coisas como as façanhas de magos em mundos mágicos ou aventuras de super-heróis não pegariam a fantasia das pessoas, exceto as crianças. Um adulto sensato saberia que esses contos são absurdos e provavelmente não aconteceriam.

Fantasia, uma fuga maravilhosa da realidade

Há momentos em que o mundo pode ser avassalador. Nessas horas, podemos precisar de uma espécie de ruptura com isso. De tempos em tempos, as pessoas precisam escapar de suas realidades. Fantasia é muitas vezes a melhor maneira de conseguir essa fuga.

Com uma boa história de fantasia, você pode se enterrar em outras dimensões de sua imaginação fora de sua realidade. Ele mergulha você em um mundo onde há um perigo mais severo e ameaçador que faz seus problemas desaparecerem em comparação.

Magia da Fantasia

A fantasia apresenta a vida de uma forma diferente do habitual. Ele invoca o anseio por outra coisa, o que explica por que pode ser emocionante que não nos preocupamos muito com o enredo. Nós gostamos de uma boa história. Em tudo isso, a história ressoa com nossa existência central como seres humanos.

Além do enredo incrédulo de salvar o mundo sobre o qual essas histórias se tratam, elas tendem a evocar fortes emoções humanas que se conectam com as lutas, desafios, força e sucessos registrados na história.

Fantasia é efêmera

Mesmo que a fantasia seja aspirante e agradável, seu efeito é curto, e logo o leitor ou público tende a sair dela. Assim, a alegria geralmente é de curta duração e substituída por duras realidades da vida.

Fantasia retrata a humanidade

Na medida em que a fantasia lida com conceitos sonhadores, também retrata algumas características humanas; dor, tragédias e relacionamentos, mesmo quando operam em um reino estritamente imaginário. Nos relacionamos com suas emoções. Embora não tenhamos que vender nossas almas para salvar os outros, fazemos sacrifícios pelas pessoas que amamos.

A fantasia nos ajuda a processar nossos problemas sem realmente processá-los. Ele oferece uma saída para nossas emoções, mantendo uma ilusão de distância e passividade, ajudando-nos a enfrentar coisas que podemos ter engarrafado por medo, trauma, dor ou tristeza.

A fantasia nos dá esperança.

A fantasia nos dá esperança de que não importa o quão feias as coisas ficam, ainda podemos sair da situação.

Conclusão

Há debates sobre o que é possível e impossível, real e irrealista, que varia de diferentes perspectivas individuais. Mas, por mais que tenham um papel crucial na criação da ficção e da fantasia, as diferenças são claras e gritantes para os leitores não casuais.

CJ grew up admiring books. His family owned a small bookstore throughout his early childhood, and he would spend weekends flipping through book after book, always sure to read the ones that looked the most interesting. Not much has changed since then, except now some of those interesting books he picks off the shelf were designed by his company!